logomonksealpeq 

Desde 2014 que está a decorrer o projeto Life Madeira lobo-marinho (LIFE13 NAT/ES/000974) proposto pela Fundação CBD-Habitat e do qual somos entidade parceira.
Este projeto terá a duração de 4 anos e é cofinanciado pelo programa Life+ Instrumento Financeiro da Comunidade Europeia.

O projeto LIFE Madeira lobo-marinho tem como principais objetivos:

1 - Consolidar o trabalho de conservação em relação a este mamífero, realizado desde 1988:

    Promoção de um bom funcionamento da rede de informação e de emergência do lobo-marinho;
    Limpeza de lixo marinho das grutas e praias utilizadas por estes animais;
    Embarques em barcos de pesca e marítimo-turísticas para melhor perceber eventuais conflitos entre a espécie e as atividades humanas.

2 - Aplicar novos sistemas de monitorização, não invasivos, utilizados na Mauritânia, como as câmaras fotográficas automáticas no interior de grutas e o uso de um sistema de seguimento dos animais via satélite.

3 - Elaborar um plano de ação para a conservação do lobo-marinho na Madeira.

Para mais informações consulte a página do projeto em:
http://www.lifemadeiramonkseal.com/pt/

 

lobo211

A foca-monge do Mediterrâneo ou lobo-marinho, Monachus monachus, como é conhecida no arquipélago da Madeira, é a foca mais rara do mundo e uma espécie considerada em perigo crítico pela União Internacional para a Conservação da natureza. Em Portugal, ocorre unicamente no arquipélago da Madeira, mais especificamente nas Ilhas Desertas e ilha da Madeira.

O Serviço do Parque Natural da Madeira (SPNM) iniciou um projeto para a conservação do lobo-marinho e do seu habitat em 1988 o que levou à criação da Área Protegida das Ilhas Desertas em 1990 que entretanto passaram a Reserva Natural em 1995.

A proteção in loco, a monitorização e o estudo do Lobo-marinho, juntamente com a educação ambiental, têm sido as principais estratégias utilizadas para a sua salvaguarda.

 

 

OBJETIVOS

DESCRIÇÃO DA ESPÉCIE

PRINCIPAIS AÇÕES EM CURSO

O QUE FAZER QUANDO OBSERVA UM LOBO-MARINHO?

PUBLICAÇÕES DE INTERESSE

GOSTARIA DE COLABORAR?

LINKS ÚTEIS

CONTACTOS

 

 

 

OBJETIVOS

O principal objetivo deste projeto é salvaguardar o lobo-marinho no arquipélago da Madeira e contribuir para a sua manutenção no mundo.

INÍCIO

 

DESCRIÇÃO DA ESPÉCIE

Distribuição

Originalmente a sua área de distribuição englobava toda a bacia do Mediterrâneo, Mar Negro e no Atlântico, toda a costa NW Africana desde o Senegal, e os arquipélagos dos Açores, Madeira e Canárias. Atualmente e devido à extinção desta espécie na maioria dos locais, o lobo-marinho encontra-se essencialmente no Nordeste do Mar Mediterrâneo e no Atlântico: na costa Noroeste africana, no Cabo Branco e no arquipélago da Madeira. No arquipélago da Madeira a sua área de distribuição inclui as Ilhas Desertas e a ilha da Madeira.

Morfologia

Quando nascem têm um aspeto lanoso, são de cor negra com uma mancha branca umbilical. Têm cerca de 100 cm e pesam 15 a 20 Kg. Com a idade e as sucessivas mudas de pelo, a coloração vai-se alterando e pode variar do preto ao fulvo apresentando geralmente uma mancha esbranquiçada na zona ventral. Podem atingir os 3 metros de comprimento e chegar aos 350 Kg.

Habitat

São mamíferos marinhos que dependem de terra para descanso e reprodução. Utilizam preferencialmente praias no interior de grutas, muito provavelmente para escaparem à perseguição de que foram alvo por parte do Homem. Contudo nos últimos anos voltaram a utilizar ocasionalmente praias abertas.

Embora utilizem com frequência a zona costeira, podem efetuar deslocamentos de algumas centenas de quilómetros em pleno mar.

Dieta

Alimentam-se de peixe, cefalópodes e crustáceos, fazendo-o preferencialmente na zona costeira. Para isso, efetuam mergulhos que podem durar 15 minutos.

Reprodução

Geralmente andam isolados ou em pequenos grupos tornando-se mais gregários durante a época de reprodução. As fêmeas procuram um mesmo local para terem e acompanharem as crias durante os seus primeiros meses de vida. Os machos aproveitam esta época para tentar, com maior sucesso, o acasalamento.Os nascimentos ocorrem com maior frequência em outubro/novembro, embora possam registar-se ao longo do ano. O período de gestação ronda os 9 meses e refere-se a uma única cria. O período de amamentação pode ir até aos 4 meses. A maturidade sexual nas fêmeas é atingida, de uma forma geral, aos 4 anos.

Estatuto Legal

Lobo-marinho e o seu habitat estão legalmente protegidos por legislação regional, europeia e internacional.

Regional

  • D. L. Regional n.º 6/86/M de 30 de Maio que regulamenta a Proteção dos Mamíferos Marinhos na Zona Costeira e Sub Área 2 da ZEE;
  • D. L. Regional n.º 14/90/M de 23 de Maio em consonância com o D. L. Regional nº9/95/M, de 20 de Maio que regulamenta a Reserva Natural das Ilhas Desertas.

União Europeia

  • Diretiva 92/43/CEE do Conselho de 21 de Maio relativa à preservação dos habitats naturais e da fauna e da flora selvagens: Anexo II

Convenções Internacionais

  • Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção: Anexo I
  • Convenção de Berna relativa à conservação da vida selvagem e do habitat natural: Anexo II
  • Convenção de Bona sobre a conservação de espécies migradoras: Anexo I e II
  • Convenção de Barcelona para a proteção do Mar Mediterrâneo: Anexo II. 

Ameaças

As causas de declínio das populações de lobos-marinhos foram no passado a caça com fins comerciais e posteriormente a destruição do seu habitat, pela ocupação das zonas costeiras pelo Homem, a morte deliberada dos lobos-marinhos pelos pescadores e a morte acidental principalmente nas redes de emalhar, método de pesca que entretanto foi proibido no arquipélago da Madeira.

Atualmente as principais ameaças são a perda e destruição de habitat, diminuição de alimento disponível, interação lobos-marinhos/pescadores (mortalidade acidental e intencional), eventos aleatórios (como epidemias, algas tóxicas, derrame de crude etc.), e problemas relacionados com a baixa variabilidade genética da população

Com uma população mundial de cerca de 500 indivíduos, a tendência populacional é para a diminuição. No entanto, no arquipélago da Madeira a população, que está estimada em 30-40 indivíduos, continua em crescimento.

INÍCIO


PRINCIPAIS AÇÕES EM CURSO

Proteção in loco

A proteção do lobo-marinho e do seu habitat é feita pelos vigilantes da natureza que realizam trabalho na Reserva Natural das Ilhas Desertas e na ilha da Madeira a partir da Reserva Natural do Garajau e da Reserva Natural Parcial da Ponta de São Lourenço. A presença destes elementos permite minimizar possíveis transgressões dos regulamentos e diplomas no âmbito da conservação da natureza onde se inclui o lobo-marinho e o seu habitat.

Em 1997 foi construída uma unidade de reabilitação para lobos-marinhos nas Ilhas Desertas por onde passaram, unicamente, 2 pacientes. Uma em 1997, uma cria encontrada desnutrida nas Ilhas Desertas, a qual foi tratada e devolvida ao meio natural com sucesso, e outra em 2008, uma fêmea adulta, a "Desertinha", encontrada doente no Funchal, a qual acabou por morrer durante o processo de recuperação com um problema no coração.

Desde junho de 2014 que está a decorrer o projeto Life Madeira Lobo-marinho. Para mais informações consulte:
http://www.lifemadeiramonkseal.com/pt/

Monitorização e estudo

A monitorização da população de lobos-marinhos tem por objetivos acompanhar o estado da população e adquirir conhecimentos sobre a sua biologia e ecologia. Tratando-se de uma espécie com um efetivo populacional reduzido devido unicamente a fatores antropogénicos, a filosofia deste serviço tem sido a de estudar e monitorizar sem perturbar e interagir com os animais.

Nas Ilhas Desertas, o método baseia-se na observação direta dos lobos-marinhos sem interferência nas suas atividades, a partir de pontos estratégicos localizados ao longo das ilhas. A observação tem por objetivo a recolha de imagens dos animais para foto-identificação e a documentação do seu comportamento. Este trabalho permite ainda registar eventuais nascimentos, mortes ou tomar medidas para recuperar algum animal detetado doente ou em situação de risco.

Faça parte da Rede SOS Lobo-marinho

LogoRedeSOS

A Rede SOS Lobo-marinho procura integrar todos aqueles que queiram participar de uma forma ativa na conservação do lobo-marinho através de uma conduta que contribua para o bem-estar e um melhor conhecimento destes animais aquando da sua presença.

Neste contexto convidamos a quem queira integrar a Rede SOS – Lobo-marinho a preencher o protocolo de colaboração:

Protocolo Institucional  logopdf

Protocolo Individualogopdf

INÍCIO


O QUE FAZER QUANDO OBSERVA UM LOBO-MARINHO?

Se vir um lobo-marinho, não se esqueça de que é um animal selvagem. Não é um animal agressivo por natureza mas poderá sê-lo ao sentir-se ameaçado. É curioso e poderá procurar interagir com o que o rodeia.

No caso de se estar no mar, deve-se manter a distância e evitar perturbar os animais, ou se possível sair calmamente para terra.

Deve-se evitar entrar em grutas que se sabe serem utilizadas por lobos-marinhos.

Procurar alimentar os lobos-marinhos não é aconselhado.

No caso de se estar a fazer caça submarina, deve-se libertar do peixe e procurar outro local para a caça.

O contato com cães, potenciais transmissores de doenças, deverá ser evitado ao máximo.

Contate o IFCN para que se tomem as providências adequadas em caso de ser necessário intervir.

INÍCIO


PUBLICAÇÕES DE INTERESSE

  • Karamanlidis, A.; Pires, R.; Silva, N. & H. C. Neves. 2004 The availability of resting and pupping habitat for the critically endangered Mediterranean monk seal (Monachus monachus) in the Archipelago of Madeira. Oryx 38(2): 1-6.
  • Karamanlidis, A.; Pires, R.; Neves, H. C. & C. Santos. 2003 Habitat of the endangered Mediterranean monk seal (Monachus monachus) at São Lourenço – Madeira. Aquatic Mammals 29 (3): 400-403.
  • Pires, R., Costa Neves, H. & A. Karamanlidis, 2007.
  • Activity Patterns of the Mediterranean Monk Seal (Monachus monachus) in the Archipelago of Madeira. Aquatic Mammals 2007, 33(3): 327-336.
  • Pires, R., Costa Neves, H. & A. Karamanlidis, 2008.
  • The Critically Endangered Mediterranean monk seal Monachus monachus in the archipelago of Madeira: priorities for conservation. Oryx, 42(2): 278–285.
  • R. Hale, R. Pires, P. Santos, & A. A. Karamanlidis, 2011. Mediterranean Monk Seal (Monachus monachus): Fishery Interactions in the Archipelago of Madeira. Aquatic Mammals, Volume 37, Number 3: 298-305
  • R. Hale, 2009. Interacção da foca-monge (Monachus monachus) com as diversas artes de pesca da Região Autónoma da Madeira. Dissertação submetida à Faculdade de Ciências da Universidade do Porto para obtenção do grau de Mestre em Biologia.

INÍCIO


GOSTARIA DE COLABORAR?

Se observou um lobo-marinho ou se tiver o conhecimento de alguma observação preencha a ficha de registo e reencaminhe para  juntamente com quaisquer imagens que possam ter sido recolhidas.

Todas as informações são preciosas para que se saiba um pouco mais acerca desta espécie na Região!

INÍCIO


LINKS ÚTEIS

Projeto Life Madeira Lobo-marinho

CBD-Habitat (Fundación para la Conservación de la Biodiversidad y su Hábitat) of Spain

MOm (The Hellenic Society for the Study and Protection of the Monk Seal) of Greece 

SAD - AFAGUnderwater Research Society - Mediterranean Seal Research Group

The Monachus Guardian

INÍCIO


CONTACTOS

Coordenação do projeto

INÍCIO