IMG 7354 resize IMG 7358 resize IMG 7365 resize

Localização: Santo António da Serra
Proprietário: Região Autónoma da Madeira
Horário: Aberto ao público todos os dias da semana.

A Quinta do Santo da Serra situa-se na freguesia de Santo António da Serra, Concelho de Machico.

IMG 7366 resize IMG 7374 resize 

A Quinta do Santo da Serra foi construída pela família Blandy, bem ao gosto colonial inglês de finais do século XIX, e adquirida já na década de sessenta do séc. XX pela extinta Junta Geral do Distrito Autónomo da Madeira, denominada por Quinta da Junta, passando a ser residência oficial de férias do Presidente do Governo Regional.

A Quinta do Santo da Serra é um espaço público de lazer e recreio bem conhecido, já visitado por grande parte dos madeirenses e muito utilizado pela população escolar infantil para desenvolver atividades lúdico desportivas. Constitui ainda um polo de atração turística da freguesia de Santo António da Serra, frequentemente referenciado nos guias turísticos da Ilha.

IMG 7368 resize IMG 7373 resize 

Oferece:
☼ uma pequena exposição de animais, com pavões, uma população de gamos e um grupo de cavalos de raça Garrano. O Garrano, é um pequeno e robusto cavalo que se distribui pelo Minho e Trás-os-Montes, sendo uma raça autóctone criada nos baldios serranos de forma bravia. Para mais informação sobre esta raça poderá consultar: http://naturlink.pt/article.aspx?menuid=23&cid=4672&bl=1&viewall=true;
☼ observação de diferentes espécies arbóreas e arbustivas indígenas e exóticas;
☼ um mini-golfe;
☼ um campo de ténis;
☼um miradouro sobre as serras do concelho de Machico, Ponta de São Lourenço e Ilha do Porto Santo;
☼parque de merendas.
 
Nesta quinta notam-se as marcas dos parques ingleses, com os seus amplos relvados, delimitados por espécies florestais de grande porte, mas com as características climáticas e geológicas da Madeira e integrando espécies próprias da nossa flora.

Nos jardins existem diversas coleções de plantas, uma combinação entre espécies exóticas e indígenas que podem ser contempladas pelos visitantes destacando logo à entrada e caracterizando a quinta: as azáleas, os rododendros, e as camélias. Num dos amplos largos observa-se uma coleção de faias europeias, e junto ao edifício principal uma coleção de árvores, algumas emblemáticas podendo ser contemplado em vários recantos do jardim espécies da família botânica lauraceae e outras espécies da floresta da Madeira.

Da coleção de espécies exóticas destacam-se: as azáleas Rhododendron subps., o rododendro Rhododendron arboreum, a camélia Camellia subps., a hortênsia Hydrangea macrophylla, o carvalho-comum Quercus robur, a Faia-europeia Fagus sylvatica, o eucalipto Eucalyptus globulus, as aranhas Tibouchina  grandiflora, o tulipeiro  Liriodendron tulipifera, o cipestre-da-Califórnia Cupressus macrocarpa, a criptoméria Criptomeria japonica, a azinheira Quercus ilex subsp. rotundifolia, o ulmeiro Ulmus sp., as coroas-de-Henrique Agapanthus praecox, os camecípares Chamaecyparis lawsoniana.

Das espécies indígenas destacam-se: o til Ocotea foetens, o loureiro Laurus novocanariensis, a urze-das-vassouras Erica platycodon subsp. maderincola, a urze molar Erica arborea, o vinhático Persea indica, a ginjeira-brava Prunus lusitanica subsp. hixa, o folhado Clethra arborea, o silvado Rubus sp., a faia-das-ilhas Myrica faya, o cedro-da-Madeira Juniperus cedrus subsp. maderensis, a uveira-da-serra Vaccinium padifolium, a violeta Viola odorata, o ranúnculo Ranunculus sp..

INÍCIO