desertas1 desertas2 desertas3

Presentemente, a vegetação das ilhas Desertas são constituídas essencialmente por um coberto herbáceo e por alguns arbustos. Apesar disso, e tal como na ilha do Porto Santo, as ilhas Desertas reúnem as condições edafoclimáticas necessárias para o desenvolvimento de dois tipos de comunidades florestais; o Zambujal e a Laurissilva do Barbusano (Capelo et al, 2007). Estes dados são corroborados por registos históricos que apontam para a existência nestas ilhas de habitates florestais similares aos referidos.

Na Deserta Grande e Ilhéu Chão ainda é possível observar alguns núcleos de Zambujal, com exemplares de espécies tais como Olea maderensis (zambujeiro), Chamaemeles coriacea e Maytenus umbellata (buxos-da-rocha). A presença ancestral de Laurissilva do Barbusano nas Desertas é ainda indiciada pela existência na Deserta Grande de vestígios desta comunidade florestal, nomeadamente Apollonias barbujana (barbusano), Semele androgyna (alegra-campo) e de Convolvulus massonii (corriola).

Nas ilhas Deserta Grande e Bugio, devido à escassez de água e à introdução no passado de cabras e coelhos, o coberto vegetal é escasso e encontra-se muito degradado. Apesar disso, nestas duas ilhas crescem várias espécies endémicas do arquipélago da Madeira, tais como Argyranthemum haematomma (estreleira), Scrophularia lowei, Calendula maderensis (calendula), Matthiola maderensis, Euphorbia piscatoria (figueira-do-inferno), Scilla maderensis (cila-da-madeira), Monizia edulis (cenoura-da-rocha) entre outras.  Na  Deserta Grande vegeta o endemismo daquelas ilhas o,Sinapidendron sempervivifolium. Esta ilha contém ainda dois briófitos endémicos do arquipélago da Madeira; as hepáticas Riccia atlantica e Frullania sergiae.

 

desertas4 desertas5 desertas6

O Ilhéu Chão, ilha onde cabras e coelhos não foram introduzidos, é a que apresenta uma vegetação em bom estado de conservação. Destaque-se várias espécies vegetais endémicas do arquipélago tais como Beta patula, Phalaris maderensis e Lolium lowei, três  endemismos raros, bem como Crambe fruticosa, Crepis divaricata (almeirante), Euphorbia piscatoria (figueira-do-inferno), entre outros.

A brioflora das ilhas Desertas é constituída por aproximadamente 95 espécies de briófitos. Tal como na ilha do Porto Santo, a maioria das espécies é de características mediterrâneas, mais tolerantes a secura e à elevada temperatura e luminosidade. Da brioflora existente, destaca-se as espécies endémicas da Madeira Frullania sergiae e Riccia altantica, bem como outras espécies de distribuição mais rara, tais como Tortula solmsii, Tortella limbata, Anacolia webbii e Exormorteca pustulosa entre outras.

Bibliografia:
Capelo, J., Menezes de Sequeira, M., Jardim, R. & Costa, J. C. (2004). Guia da excursão geobotânica dos V Encontros ALFA 2004 a ilha da Madeira. in Capelo, J. A paisagem vegetal da ilha da Madeira. pp. 5 -45. Quercetea, 6, 3 -200

INÍCIO